Últimas Notícias

Mergulhado em escândalos popularidade de Bolsonaro despenca em apenas três meses, aponta pesquisa

ad+1

G1 - 


IMAGEM: JONATHAN ERNST/REUTERS
O Ibope divulgou, nesta quarta-feira (20), uma pesquisa de avaliação de Jair Bolsonaro. O instituto mostrou que a aprovação do presidente caiu 15 pontos percentuais desde a posse. É o pior desempenho de um presidente eleito, no início de um primeiro mandato, na série que avaliou Fernando Henrique Cardoso, Lula e Dilma Rousseff.



Inscreva-se em nosso canal do Youtube: Clique aqui

De janeiro até março, a avaliação ruim ou péssima de Bolsonaro aumentou 13 pontos. A probabilidade de os resultados retratarem a realidade é de 95%, com margem de erro de dois pontos para mais ou para menos.

Em janeiro, os que consideravam o governo Bolsonaro ótimo ou bom eram 49%. Em fevereiro, o percentual caiu para 39%. E agora, recuou para 34%. Regular: 26%; depois, 30%; e agora, 34%. Ruim ou péssimo: 11%; depois, o índice aumentou para 19%; e agora, para 24%. Os que não souberam ou não responderam eram 14%, 12%, e agora, 8%.

O Ibope também perguntou se os brasileiros aprovam ou desaprovam a maneira como o presidente Jair Bolsonaro está governando. De janeiro a março, a aprovação caiu 16 pontos percentuais. E a desaprovação cresceu 17 pontos.

Em janeiro, 67% aprovavam a maneira de governar de Bolsonaro. Depois, o percentual caiu para 57%, e agora, para 51%. Os que desaprovavam eram 21%; depois, 31%. Agora, o índice passou para 38%. Não souberam ou não responderam: 12%; 12%; agora 10%.

Segundo o Ibope, o nível de confiança no presidente Jair Bolsonaro caiu 13 pontos percentuais de janeiro a março. E o índice dos que dizem que não confiam cresceu 14 pontos.

Em janeiro, 62% confiavam; em fevereiro, 55%; e agora, 49%. Não confiavam: 30%; 38%; e agora são 44%. Não souberam ou não responderam: 7%; 7% de novo; e agora, 6%.

O Ibope comparou a aprovação de Bolsonaro com a dos últimos presidentes eleitos, quando completaram três meses de governo. Segundo o instituto, a avaliação positiva de Jair Bolsonaro é inferior às obtidas por Fernando Henrique Cardoso no primeiro mandato, por Lula, tanto no primeiro mandato quanto no segundo, e por Dilma Rousseff, no primeiro mandato dela.

Em março de 1995, no primeiro mandato de Fernando Henrique, 41% consideravam a administração dele ótima ou boa; regular, 43%; ruim ou péssima, 12%; e 3% não souberam ou não responderam.

Quatro anos depois, no início do segundo mandato, 22% disseram que a administração de Fernando Henrique era ótima ou boa; regular, 34%; ruim ou péssima, 41%; e 3% não souberam ou não responderam.

Em março de 2003, no primeiro mandato de Lula, 51% consideravam a administração dele ótima ou boa; regular, 36%; ruim ou péssima, 7%; e 6% não souberam ou não responderam.

Quatro anos depois, no início do segundo mandato, 49% disseram que a administração de Lula era ótima ou boa; regular, 33%; ruim ou péssima, 16%; e 1% não soube ou não respondeu.

Em março de 2011, no primeiro mandato de Dilma Rousseff, 56% consideravam a administração dela ótima ou boa; regular, 27%; ruim ou péssima, 5%; e 11% não souberam ou não responderam.

Quatro anos depois, no início do segundo mandato, 12% disseram que a administração de Dilma era ótima ou boa; regular, 23%; ruim ou péssima, 64%; e 1% não soube ou não respondeu.

Agora, no início do governo Bolsonaro, como já mostramos, 34% disseram que a administração dele é ótima ou boa; regular, também 34%; ruim ou péssima, 24%; e 8% não souberam ou não responderam.

O Ibope ouviu 2.002 entrevistados de sábado (16) até a terça-feira (19).

Vídeo no link: https://globoplay.globo.com/v/7472462/

0 comentários:

Disponível 24h

Disponível 24h