Últimas Notícias

Muy amigo: Presidente da Câmara de Picuí tenta inviabilizar gestão do sucessor

ad+1

Portal do Curimataú -

Na noite desta segunda feira (5), a sessão da Câmara Municipal de Picuí, Seridó paraibano, foi alvo de muita discussão entre os seus pares, tudo em razão de um Projeto de Lei apresentado de surpresa pelo atual Presidente Aldemir Alves de Macedo (Avante), que no apagar das luzes, colocou em pauta projeto de reajuste de 7% aos servidores da casa.
De acordo com entendimento de contadores, se trata de um ato ilegal, oportunista e que tem a intensão de inviabilizar a Gestão futura do Vereador Vidal Negreiros (PTB) que tem início em janeiro próximo.
O vereador Vidal reafirmou seu compromisso em conceder reajuste ao funcionalismo da Câmara, desde que tenha em mãos orçamento e atenda as exigências da Lei de Responsabilidade fiscal. “Lamento que o atual presidente que nunca lembrou de conceder tal reajuste durante sua administração, só agora que se prepara para transição de seu mandato, sem consultar seus colegas de bancada, e principalmente a mim que serei seu sucessor a partir de janeiro tenha colocado essa matéria”. Disse.
A preocupação de Vidal recebeu a solidariedade dos vereadores da situação e oposição, que solicitaram a retirada de pauta e consequente suspensão da sessão, o que foi atendida mesmo contra a vontade de Aldemir.
Vale ressaltar que o orçamento da Câmara referente ao exercício de 2019, se quer foi aprovado pelo legislativo municipal e que, diante das constantes quedas de receitas em 2018, pode sofrer redução.
Se o aumento em tela for concedido, acrescido do reajuste obrigatório do salário mínimo em janeiro, certamente iria deixar a futura Gestão do presidente Vidal em dificuldades, principalmente no que se refere ao limite prudencial a ser gasto com pessoal estabelecido pelo TCE-PB, além de ferir a Lei de Responsabilidade fiscal.
O presidente Aldemir Alves (Avante), vem sendo alvo de constantes denúncias feitas pelos vereadores da situação junto ao Tribunal de Contas da Paraíba e Ministério Público, face a farra com o dinheiro público realizada na sua polêmica administração.
De acordo com o vereador Jean Carlos (PT), várias denúncias foram efetuadas junto ao Tribunal de Contas do Estado e ao Ministério Público que apura possíveis irregularidades e superfaturamento que justifica a ocorrência de atos de improbidade administrativa. Entre estas se inclui: I) Irregularidades na Execução Orçamentária; II) Ausência de Atualização do Portal da Transparência, III) Aquisição de Material de Construção pela própria Câmara Municipal de Picuí no mesmo período da reforma realizada por empresa vencedora da licitação; IV) Acumulação Ilegal de Cargo Público pelo Presidente; V) Parcialidade na Condução da Presidência, VI) Superfaturamento de serviços dentre outras que ainda estão sendo encaminhadas.
Já não bastasse a quebra de compromisso político com seus colegas, procrastinação de decisão judicial e todas essas possíveis irregularidades denunciadas pelos parlamentares mirins da situação picuiense, agora no final de seu reinado o menino traquino tenta jogar uma casca de banana para seu sucessor. Quem tem um aliado desse não precisa de adversário.
Como diz o Irmão Vidal queima Jesus, esta repreendido!

0 comentários:

Disponível 24h

Disponível 24h