Últimas Notícias

Comércios ingleses terão fontes de água para reduzir o uso do plástico

ad+1

Nuno Garcias (Portugal) -
por EFE Brasil -

Os comércios da Inglaterra instalarão para 2021 fontes de água ou pontos de separação para reduzir o uso de garrafas de plástico entre os consumidores, informou nesta quinta-feira a associação britânica Water UK, que auspicia a iniciativa.
A Water UK, que agrupa companhias fornecedoras britânicas, iniciou um programa ao qual podem se filiar cafeterias, lojas, bancos e museus para oferecer água corrente de graça aos cidadãos, e prevê instalar também mais fontes públicas em distintas localidades.
O prefeito de Londres, o trabalhista Sadiq Khan, anunciou em dezembro a instalação de 20 novas fontes públicas de fornecimento de água na capital britânica, bem como "pontos separação" de garrafas.
Diferentemente de muitos países do sul da Europa, onde o clima é mais quente, no Reino Unido há poucas fontes públicas, o que induz à compra de água engarrafada.
Sob a iniciativa da Water UK, os usuários poderão localizar o ponto de garrafas mais próximas através de um aplicativo, bem como através de adesivos que os comércios colarão em suas vitrines.
Whitbread, proprietária das cafeterias Costa e os hotéis Premier Inn no Reino Unido, já anunciou que oferecerá pontos de água gratuita em todos seus estabelecimentos a partir de março.
O novo programa se baseia no sucesso da campanha da organização Refill, que nos últimos anos instalou 1,6 mil pontos de separação no território britânico para incentivar a redução dos resíduos de plástico.
O diretor da Water UK, Michael Roberts, disse que o setor "quer contribuir para reverter a prejudicial maré de resíduos de plástico" que contamina o meio ambiente, especialmente os oceanos.
"Este país tem uma das melhores águas correntes do mundo e queremos que todo mundo se beneficie disso," afirmou.
Com a rede de pontos de separação e as fontes, os cidadãos poderão encher suas garrafas "no trabalho, quando descansarem, durante as compras ou qualquer outra atividade", acrescentou. EFE

0 comentários:

Disponível 24h

Disponível 24h