Últimas Notícias

Racionamento em Campina Grande só deve acabar em julho, afirma secretário

ad+1

Francisco Varela Neto - 

O secretário executivo de Infraestrutura do Estado, Deusdete Queiroga, afirmou que o racionamento de água na cidade de Campina Grande não vai acabar nesta terça-feira (20) conforme previsão feita anteriormente. Para isso, o açude de Boqueirão deveria estar com pelo menos 8% da capacidade total. O levantamento feito nessa segunda-feira (19) pela Agência Executiva de Gestão das Águas da Paraíba (Aesa) mostrou que dois meses após a chegada das águas da Transposição do Rio São Francisco o açude Epitácio Pessoa, na cidade de Boqueirão, o reservatório alcançou 6,5% da capacidade total..

Segundo Deusdete, o prazo para que o racionamento acabe por completo é até o fim do mês de julho. “O racionamento já diminuiu muito, mas ele ainda não vai acabar por completo. De acordo com as reuniões que nós tivemos com a Companhia de Água e Esgotos (Cagepa), nosso prazo é que até o fim de julho a cidade de Campina Grande não precisará mais de racionamento e o bombeamento estará na sua normalidade completa”, explicou.


O secretário atribuiu o atraso no abastecimento às manutenções que são feitas periodicamente. “Levando em conta que ainda estamos em fase de testes, às vezes os funcionários precisam fazer uma manutenção e aí o abastecimento tem que ser interrompido, mas vale lembrar que o nível do açude Boqueirão já melhorou muito em comparação ao que era”, afirmou Deusdete.

Outro ponto que atrasou o fim do racionamento, segundo o secretário, foi problema que acometeu parte do canal da transposição que rompeu no último dia 10, nas proximidades do Sítio Malhadinha, no município de Custódia, no Sertão de Pernambuco.

“O problema que aconteceu em Pernambuco também prejudicou um pouco os prazos que tinham sido estabelecidos”, disse.

Deusdete Queiroga fez questão de frisar que desde a chegada das águas do São Francisco a Campina Grande a qualidade da água já melhorou muito. “Já se observou uma melhora muito grande na qualidade da água que chega a Campina Grande, tendo em vista que a qualidade da água do Rio São Francisco é muito boa”, finalizou.

Cagepa

O gerente regional da Cagepa na cidade de Campina Grande, Ronaldo Menezes, afirmou que o fim do racionamento depende única e exclusivamente da vazão de chegada de água e que não é possível dizer uma data exata.

“A saída do racionamento depende da vazão de chegada de água, e isso irá ocorrer quando o açude sair do volume morto e atingir a marca de 8,2% da sua capacidade total, então somente quando ele sair do volume morto o racionamento pode acabar, talvez em meados de julho mas não é possível precisar uma data”, afirmou.

0 comentários:

Disponível 24h

Disponível 24h